sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Episódio 4: As luzes, a primavera e a cidade (Medellín)

A cidade da eterna primavera: é assim que os colombianos apelidaram Medellín, terra de Pablo Escobar, localizada entre montanhas mais baixas que as da cordilheira. A combinaçao altitude/latitude presenteou a cidade com temperaturas amenas e um céu azul anil quase o ano todo. Mais uma vez, uma grata surpresa para quem se aventura tao próximo a linha do Equador.

Ao chegar por là, logo descobri que Medellín tem feito muito para mostrar ao mundo que os tempos da violência e do cartel já se foram. A cidade, entao, tem se prestado a um projeto de urbanizaçao muito legal, contando com uma boa tradiçao de espaços publicos de qualidade em que todos podem se divertir. De graça.

Com Gaspard (França) na Plaza Mayor.

Como cheguei no dia 10, pude conferir o ultimo dia do parque de luzes de natal que foi feito às margens do Rio Medellín. E acreditem - quando os colombianos falam de luzes natalinas, sao luzes natalinas de fato. Quarteiroes e quarteiroes de luzes, anjos, fontes coloridas e toda sorte de penduricalhos. As fontes, inclusive, eram tomadas por meninos já encharcados pelos banhos refrescantes.


A cidade è cheia de praças e lugares para usufruto público. Também foi muito legal conferir o Parque de los Pies Descalzos. Ali, os passantes sao encorajados a tirar uma ou duas horinhas do dia de trabalho para caminhar pela praça e molhar os pezinhos nas diversas fontes do lugar.

Alèm disso, o Museo de Antioquia (estado, ou melhor, departamento de que Medellín è capital) tem um acervo enorme de esculturas, desenhos e pinturas do Botero. Depois dele, nada melhor que tomar uma cerveja na praça central da cidade e comer patacones e empanadas na feirinha que fica logo ao lado. E, claro, ainda ganhar o seu dia com uma conversa deliciosa com a vendedora, que sabe tudo de futebol e jà está juntando as pratinhas para chegar ao Brasil em 2014.

Curtindo a vista do Museo de Antioquia, depois de um banho de Botero.

Agora a verdadeira liçao de Medellín está no sistema de transporte público. O metrô, que abrange toda parte da cidade, foi recentemente interligado aos metrocables - teleféricos, de transferencia gratuita para passageiros do metrô. Agora o mais legal é o destino desses teleféricos: os cerros (morros) que, assim como no Brasil, sao áreas ocupadas por pessoas em situaçao de risco socioeconomico. O que eles fizeram: construìram parques e bibliotecas no alto dos morros. Assim, nao só as pessoas que vivem ali se integram ao centro por meio do metrocable, mas também os turistas e moradores da regiao vao até lá para conferir os espaços culturais, além da bela vista panoramica da cidade.

Vista do teleférico

Garoto curtindo a vista do alto do Cerro, no edifìcio da biblioteca do Parque España


Enfim: numa viagem, sempre as pessoas. Gaspard, Scott e Sophia vieram atè Medellìn para passar uns dias a mais comigo. E isso foi sensacional. É aquela història: uma viagem é conhecer lugares. A outra, fazer amigos. E que eu siga me aventurando pelas duas.

No pròximo episódio: pânico em Cartagena, o calor do Caribe e as cores impressionantes de ciudad amurrallada.

Um comentário:

  1. Oi Tiago
    Estas casas lá no alto são semelhantes às favelas brasileiras?
    Bjo

    ResponderExcluir

Fique à vontade para deixar o seu recado para mim. E não se esqueça de deixar um contato para que eu possa respondê-lo.